1 de jul de 2013

IMPLICAÇÕES: EXAUSTÕES


Leia por completo: Série Implicações: Texto I - Texto II - Texto III e a Retrospectiva

Os dias passavam devagar, sem muito ânimo. Às vezes, tentava me recordar de como tudo foi e se fosse, como seria. Complicações. Não tinha definições, mas eu continuava por ali, remexendo as bagunças do armário velho. A poeira incomodava. A velhice também.

As coisas pareciam mais estáveis, até o momento. Tudo tentava prosseguir conforme as cantigas. Gastei um tempo ouvindo a vovó. Era um doce. Cansei de turbulências sem motivos. Criei alguns caminhos que estou tentando trilhar. Três meses se passaram e ainda era difícil ver a minha mãe em alguns momentos do dia. Tentava não estragar tudo de uma vez. Comprei alguns livros e tenho tentado me acostumar com fantasias curtas em páginas amareladas. Um perfume só. Acho que, de certa maneira, todas essas invenções durariam muito mais que o previsto. 

A Ellen sumiu por alguns dias desde que terminou com o namorinho dela. Era de se saber. Como sempre, a gente costuma repetir que avisou. Eu nem me importava mais. Continuava bagunçando o armário da sala. Nada de interessante mais habitava lá por dentro. Apenas algumas fotos que eu preferia manter as escondidas. Minha mãe estava no trabalho, eu não tinha aula por conta da falta de professores. Ainda bem, já que hoje seria o dia dos insuportáveis. E acordei cedo. 

Escolhi qualquer tipo de moletom e me joguei naquele sofá. Era um tipo de berço. Uma confiança qualquer. O dia cansativo e desgastante não trazia surpresas. Na verdade, não gostava muito delas, mas, não imaginava nada mais agradável. Sonolências surgiam em meio aos choques de sorrisos exaustivos. Doía até. Mantinha a vontade de querer encontrar algo mais doce e imaginava o mundo novamente com ele, aqui.


Continua.


Um abraço e até o  próximo!
Matheus Carneiro

Um comentário :

  1. Mais um ótimo capítulo! :)

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir