11 de jul de 2013

QUINZE INSÔNIAS: PARANOIA


Continuei por ali, sem muito o que pensar. Já estava quase amanhecendo e não conseguia pregar os olhos. Na dúvida, tentava ficar de olho no teto. Contava as madeirinhas. Virava de canto e recusava a parede gelada. O frio causava uma dor. Uma incomodação qualquer.

Uma dor de cabeça. Nada de se preocupar agora. O sono não tinha chegado e eu não estava querendo perder nada. Grudava no travesseiro. Ajustava o edredom e deixava os pés de fora. Um tipo de mania. Pegava o celular para olhar o nada. Voltava para perto da parede. Foi aí que, talvez, eu tenha encontrado um tipo de paranoia. De certo, alguma ilusão.

Fiquei olhando a luz que vinha da rua pela janela. Amarelada, que criava um desenho de uma faixa na parede velha. Tornava-se um desgaste. Fechava os olhos e esperava o sol aparecer. Ele poderia trazer um presente. Um calor diferente. Os estilhaços já tinham me consumido. Em mente, listava o meu dia seguinte. Na verdade, eu precisaria era de energia. A insônia me visitou sem deixar um cartão de visita.

Parecia que não iria acabar. Não largava do meu pé. Não me deixava sair para ver as nuvens mais brancas em uma manhã azul, ou nublada também. Mesmo assim, nada do sono chegar. Eu tentava esperar um pouco mais da vida. Nada de surgir alguém e nem o quê. Era só mais algumas horas. Uma tipo de turbulência desnecessária. 


Um abraço!

6 comentários :

  1. Belo texto. Aprecio sua facilidade e precisão em descrever sentimentos tão profundos.

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. eu aqui morrendo de invejinha do seu blog gato. Parabéns.
    Texto maravilhoso, parabéns :)
    abração

    lukas - presentedegrego.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lukas! Muito obrigado. Conheci o seu blog recentemente, já está salvo por aqui. Textos muito bons e boa sorte com teu livro.

      Um abraço!

      Excluir
  3. E vagando pelo mundo dos blogs a gente sempre se depara como uma galera excelente.

    Eu fui lendo cada linha e foi como se estivesse fitando a minha imagem no espelho e de repente toda a paranoia era um pouco minha, é um pouco minha, porque meio sem querer querendo encontrei uma imagem minha repetida por muitas noites a dentro.

    Grande abraço, parabéns pelo texto, excelente.

    www.eraoutravezamor.blogspot.com / www.semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá May! Muito obrigado mesmo! Que bom que gostou e se identificou no texto. Já visitava o seu blog, parabéns!

      Um abraço!

      Excluir
    2. Ahh que bacana, descobri o seu através da Arih e bem, já virei fã.

      Bjs

      Excluir